Os trabalhadores, todos os dias correm muitos riscos no exercício de suas profissões, pois os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais podem pegar qualquer pessoa, basta um descuido ou uma má postura no trabalho, para que eles ocorram.

A grande maioria das empresas preza pela saúde e integridade física dos seus funcionários, para isso foram criadas muitas medidas de proteção que são aderidas através do técnico de segurança do trabalho de cada empresa. Entre as formas de minimizar os acidentes e doenças do trabalho, a mais essencial é o EPI (Equipamento de Proteção Individual).

Os Equipamentos de Proteção Individuais foram criados para proteger os trabalhadores dos vários riscos encontrados no ambiente de trabalho, inclusive doenças que surgem com o tempo de trabalho, que muitas vezes, são incuráveis. As botas de segurança, também conhecidas como botinas, são de extrema importância no dia a dia do trabalho.

Importância das botas de segurança para o trabalho

As botas de segurança têm a função de proteger os pés dos muitos perigos oferecidos no ambiente de trabalho.

  1. Acidentes provocados por diferentes objetos – As botinas protegem os pés dos trabalhadores de acidentes causados por cacos de vidros, arames, pregos e outros objetos, que além de deixar o profissional incapacitado por alguns dias, ainda podem causar o tétano, doença que pode ser só um susto, ou até causar a amputação de um membro do corpo ou até a morte.
  2. Trombadas – No ambiente de trabalho, em um momento de descuido do empregado, pode acontecer do pé se chocar com uma superfície dura, e se ele estiver usando a botina, seu pé estará protegido.
  3. Queimaduras – As botas de proteção devem ser usadas sempre pelos trabalhadores que manuseiam produtos químicos, pois se respingar nos pés, podem queimá-los gravemente.
  4. Choques elétricos – As botas de segurança, se usadas da forma adequada, evitam os choques elétricos, que é uma das principais causas de mortes de trabalhadores.
  5. Quedas – Muitas vezes, os profissionais estão trabalhando em locais molhados, e a bota adequada com o solado indicado, evitará quedas e escorregões.
  6. Queda de materiais em cima dos pés – Com o uso das botas de segurança, os trabalhadores podem evitar pés dilacerados, quebrados ou esmagados.

São muitas as opções de modelos e tipos de calçados de segurança, e é de responsabilidade do chefe e também do empregado, encontrar, o melhor calçado para exercer determinada função. Se a botina de segurança estiver desconfortável e machucando o pé, procure o setor responsável na empresa que trabalha, como o SESMT e a CIPA e informe o que está acontecendo.

Todos os donos de empresas e trabalhadores devem ter em mente que o uso dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), são de extrema importância para prevenir os acidentes, que em muitas ocasiões podem levar a morte e também as doenças ocupacionais.

O mau uso ou o não uso dos equipamentos de segurança, como as botas, podem prejudicar muito a vida dos trabalhadores, pois podem causar incapacidade para exercer a profissão, invalidez, longos períodos de recuperação, e claro a morte.

Trabalhar é algo essencial para a nossa vida, pois é através dele que conseguimos o nosso sustento e da nossa família e também nos sentimos úteis na sociedade. Trabalhar é uma obrigação, mas o indicado é que todos os trabalhadores tenham condições adequadas para exercer suas profissões.

Para garantir a saúde dos trabalhadores, todas as empresas têm obrigação de investir na segurança do trabalho e o primeiro passo para isso, é contratar uma equipe multidisciplinar que deve trabalhar nas instalações da companhia.

A equipe de segurança do trabalho é composta pelos seguintes profissionais: médico do trabalho, engenheiro do trabalho, enfermeiro do trabalho e técnico de segurança do trabalho. O objetivo dessa equipe é proporcionar um melhor ambiente para o trabalho e realizar ações para prevenir e evitar doenças e acidentes de trabalho.

Praticas de prevenção que proporcionam melhores condições de trabalho

A segurança do trabalho pensa em diversas maneiras de resolver os problemas de uma empresa e tornar o ambiente seguro com o mínimo possível de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.

São muitas as práticas de prevenção que oferecem melhores condições de trabalho, as principais são: SIPAT, ginástica ocupacional, ergonomia e massagem.

SIPAT – A Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho é a principal ação da segurança do trabalho, pois esse evento que deve ter duração de uma semana completa, deve ser realizado nas instalações da empresa uma vez ao ano e no horário de trabalho, é a melhor maneira de conscientizar todos os profissionais dos riscos que eles correm diariamente no emprego.

Através de palestra de segurança no trabalho, gincanas, sorteios, teatro e música, o setor de segurança do trabalho de determinada empresa busca solucionar problemas que estão causando as temidas doenças ocupacionais e os acidentes de trabalho, que ainda são muito comuns. A SIPAT também auxilia os profissionais na solução de vários problemas pessoais que prejudicam o trabalho, como as drogas, alcoolismo e o fumo.

Este é um dos eventos mais importantes da área e através de atividades como palestras, por exemplo, é possível trazer profissionais especializados de fora da empresa para ajudar na conscientização dos colaboradores.

Ginástica Ocupacional – Uma ótima maneira que a segurança do trabalho encontrou para evitar dores corporais no ambiente de trabalho seja pela postura de cada um ou movimentos repetitivos, é a ginástica ocupacional, ela melhora a qualidade de vida dos trabalhadores, auxilia na autoestima e emagrecimento dos empregados e ainda alonga o corpo de todos para que não sintam dores no decorrer do dia de trabalho.

Ergonomia – A ergonomia é uma ciência que busca acabar com todos os incômodos presentes em um ambiente de trabalho, como má iluminação, cadeiras e mesas desconfortáveis e ruídos. As empresas devem investir na ergonomia para melhorar a qualidade de vida dos funcionários, pois o conforto é essencial para o rendimento de todos os profissionais.

Massagem – A massagem é uma prática já comum em empresas, geralmente elas são rápidas com duração de no máximo 20 minutos e são realizadas no intervalo do exercício do trabalho. As massagens melhoram o raciocínio do profissional, a disposição, atenção e acaba com as dores nos braços, costas, pernas e cabeça.

Essas são as praticas de segurança do trabalho que proporcionam as melhores condições de trabalho para todos os profissionais que precisam passar horas realizando uma mesma atividade. Então toda empresa deve ter um setor de segurança do trabalho para cuidar da saúde e qualidade de vida dos profissionais que precisam das melhores condições para produzir.

Os trabalhadores de todo o mundo correm riscos diariamente no ambiente de trabalho, mas não apenas os que trabalham em profissões perigosas, como também os profissionais que trabalham em cargos amenos, porque, podem contrair alguma doença ocupacional.

O trabalho é essencial na vida das pessoas, afinal é só assim que podemos ganhar dinheiro para viver, no entanto, é preciso ter muito cuidado nos ambientes de trabalho, não só com os acidentes, mas também com a postura ao realizar as atividades, porque elas podem trazer incômodos e doenças ocupacionais.

Os acidentes de trabalho são muito comuns por vários motivos, alguns deles são: movimentos repetitivos, baixas condições no ambiente de trabalho, carência de qualificação profissional, falta de atenção e interesse dos trabalhadores e falta de segurança por parte da empresa.

Todos os anos milhares de profissionais sofrem acidentes de trabalho, alguns muito graves, que podem levar a morte e outros mais simples, por isso, é muito importante seguir algumas dicas para trabalhar com mais segurança.

Dicas para prevenir acidentes de trabalho

1 – A empresa e todos os funcionários devem se comprometer com a segurança do trabalho, pois só assim ela poderá ser aplicada da forma certa. Os funcionários precisam realizar as suas atividades com muita atenção, usando os equipamentos de proteção e tendo muito cuidado quando for fazer um trabalho fora da empresa ou no trajeto para a casa ou trabalho.

2 – As empresas em geral têm por obrigação manter uma equipe de profissionais da saúde para trabalhar na área de segurança do trabalho no estabelecimento. Além disso, as empresas devem oferecer palestras que falem das diversas maneiras de evitar os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais.

3 – É importante ressaltar novamente a atenção do trabalhador, porque ele não pode se distrair nenhum minuto, ainda mais se estiver trabalhando com equipamentos pesados ou máquinas que podem oferecer riscos.

4 – A hora do trabalho, não é momento para diversão, deixe para se divertir quando estiver de folga.

5 – Faça todos os seus trabalhos com calma e perfeição, com isso garantirá um trabalho de qualidade e uma integridade física perfeita.

6 – Caso tenha alguma dúvida em relação a algum trabalho, pergunte para o seu chefe ou supervisor, pois realizar trabalhos sem saber o que realmente está fazendo pode causar muitos acidentes.

7 – Se tiver trabalhando com alguma máquina ou equipamento de proteção, e percebeu que há algum problema, vá imediatamente comunicar o ocorrido para um responsável, que tem a obrigação de consertar ou fornecer equipamentos novos.

8 – Procure não fumar em locais da empresa onde é proibido o fumo, melhor, não fume de forma alguma no seu ambiente de trabalho, porque pode haver produtos inflamáveis que podem explodir, ou então poderá causar um incêndio, então nada de fumar na empresa.

9 – Em todas as empresas, cada trabalhador deve fazer a atividade, para qual está qualificado, ou seja, trabalho de eletricista, só pode ser realizado por eletricistas.

Portanto para evitar os acidentes de trabalho, os funcionários e as empresas devem trabalhar juntos e tomar todo o cuidado do mundo.

Todos os dias nos deparamos com notícias de acidentes de trabalho dentro e fora das empresas, isso acontece por muitos motivos, nos quais estão: falta de atenção dos profissionais, mau uso dos equipamentos de segurança, descaso das empresas e movimentos repetitivos. É possível encontrar muitas formas de evitar os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais, entre elas está  o DDS (Diálogo Diário de Segurança do Trabalho).

Diálogo Diário de Segurança do Trabalho (DDS)

O DDS (Diálogo Diário de Segurança do Trabalho) é uma conversa rápida que deve ser realizada antes dos trabalhadores começarem as atividades. O objetivo principal do DDS é conscientizar os trabalhadores dos cuidados que devem ter durante suas atividades diárias, com isso, eles trabalharão com mais segurança, sem danificar o meio ambiente e com mais saúde e qualidade de vida.

O DDS precisa ser realizado em um tempo que pode variar entre 5 e 15 minutos, e antes do início do expediente de trabalho, esses minutos são reservados para discussões, sugestões e para dar instruções básicas sobre os assuntos que têm relação com as doenças ocupacionais e prevenção de acidentes de trabalho.

O Diálogo Diário de Segurança do Trabalho é uma importante ferramenta usada pela segurança do trabalho, criada nos anos 90, e com o tempo foi ampliada com outras ferramentas, como o DDHS (Diálogo Diário de Higiene e Segurança) e o DHSMQ (Diálogo Diário de Higiene, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade).

Benefícios e como fazer o DDS

O DDS (Diálogo Diário de Segurança do Trabalho) oferece muitos benefícios para as mais variadas empresas e também para os seus empregados, entre eles estão: redução do custo com assistência médica, diminuição dos acidentes de trabalho, aumento da produtividade, melhora do ambiente de trabalho, aumenta a consciência dos trabalhadores, eleva o nível de segurança e melhora a satisfação dos trabalhadores.

O Diálogo Diário de Segurança do Trabalho pode ser comandado por diferentes profissionais, sendo que os mais indicados são: o chefe, supervisor, técnico em segurança do trabalho, algum funcionário da empresa escolhido para essa função ou membros da CIPA ou da SESMT.

Antes de adicionar o DDS na rotina de trabalho é preciso informar a todos os trabalhadores, o motivo pelo qual, esse diálogo está fazendo parte do horário de trabalho. Embora esse procedimento tenha a duração de no máximo 15 minutos, ele é altamente eficiente para auxiliar na prevenção dos acidentes de trabalho e diminuir as doenças causadas pelas atividades de trabalho.

O DDS, além de rápido, deve passar para os trabalhadores um conteúdo objetivo, com histórias e temas da atualidade e que atraiam o interesse dos funcionários de todas as áreas. Por ser um diálogo, o líder deve falar claramente com os funcionários e se possível, colocar em um lugar onde todos os trabalhadores frequentam, o calendário dos encontros do Diálogo Diário de Segurança do Trabalho.

Os assuntos abordados no DDS devem ser em torno dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais, que continuam sendo muito comuns em todo o mundo. Então se é dono de uma empresa adicione hoje mesmo o Diálogo Diário de Segurança do Trabalho.

Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho

Para as empresas e também para os trabalhadores, não é muito fácil evitar os acidentes de trabalho e os sintomas que mais tarde podem se transformar em doenças do trabalho, porém tendo atenção e seguindo todas as normas do Ministério do Trabalho, os problemas e tragédias decorrentes do trabalho podem ser minimizados ou até acabarem.

Hoje em dia as empresas podem contar com muitos aliados para cuidar da segurança e integridade física de seus funcionários, entre os mais importantes, está o SESMT.

O que faz o SESMT?

Para você entender melhor o que é SESMT, saiba que esta é a sigla de (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho). Esse serviço é composto por uma equipe de profissionais do trabalho e da saúde, eles ficam trabalhando dentro de uma determinada empresa, para evitar e prevenir os acidentes de trabalho e as doenças que surgem pelo tempo de profissão.

As principais obrigações do SESMT são: garantir a integridade física dos trabalhadores, prevenindo as doenças ocupacionais e os acidentes de trabalho. Os profissionais que fazem parte desse serviço previnem os acidentes e as doenças, promovendo palestras abordando todas as maneiras de evitar os acidentes pequenos até as tragédias comuns nos ambientes de trabalho. O SESMT também trata os trabalhadores que já foram vítimas de acidentes de trabalho ou estão com os sintomas das doenças do trabalho.

Profissionais que formam o SESMT

O SESMT traz os seguintes profissionais: médico do trabalho, técnico de segurança do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho, técnico de enfermagem do trabalho e enfermeiro do trabalho. O médico do trabalho é o chefe dos profissionais do SESMT, ele é o responsável por fazer a prescrição dos remédios, primeiros socorros, tratamentos, diagnósticos, vacinações e medicar os profissionais que sofreram algum acidente de trabalho.

Outro profissional que faz parte da equipe do SESMT é o engenheiro técnico do trabalho, ele tem como responsabilidade, evitar que as doenças e os acidentes de trabalho ocorram, trabalhando para que os equipamentos funcionem perfeitamente.

Os profissionais do SESMT devem ser formados na área da saúde e contratados pelo próprio serviço. Eles não podem ter outras atividades na empresa dentro do horário de expediente, somente na área da saúde e prevenção de doenças ocupacionais e acidentes do trabalho.

O Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) é obrigatório em todas as empresas que possuem funcionários com carteira de trabalho assinada, se uma empresa não tiver uma dessas equipes de saúde ela poderá levar multa e enfrentar muitos problemas com a justiça.

O SESMT foi criado para dar apoio a todos os empregados no decorrer do tempo de trabalho, auxiliando na prevenção de acidentes e doenças de trabalho, sem falar que os profissionais desse serviço estão preparados para atender a todos os trabalhadores que sofreram algum acidente de trabalho ou estão sentindo coisas que podem levar as doenças ocupacionais.

Portanto, todas as empresas devem contar com o SESMT, porque somente assim, os empregados poderão exercer as suas profissões em ambientes mais seguros sem riscos de acidentes de trabalho. É importante dizer que para evitar as doenças ocupacionais, é preciso trabalhar com a postura correta e usar os equipamentos de segurança.

O ambiente de trabalho precisa ser seguro e oferecer todas as condições para que o profissional exerça as suas atividades de forma segura e sem causar danos a sua saúde e integridade física. Para auxiliar os trabalhadores durante a sua vida no trabalho existem muitas associações e equipes, como a CIPA.

CIPA é a sigla de (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), ela trabalha prevenindo os  acidentes de trabalho e as doenças provenientes da profissão, buscando combinar a profissão com a manutenção da vida e também da saúde dos trabalhadores.

Importância da CIPA

A CIPA é muito importante para as empresas e funcionários, porque ela foi criada para fazer a observação e enviar ao dono da empresa ou responsável, relatórios falando dos riscos existentes no ambiente de trabalho, e exigir ações para minimizar ou acabar com todos os perigos, ou seja, a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), tem por obrigação preservar a saúde e a integridade física de todos os trabalhadores contratados da empresa e também dos prestadores de serviços.

A CIPA é a responsável por investigar os casos de acidentes de trabalho que acontecem dentro das empresas, deixar todos os funcionários por dentro das normas de segurança do trabalho e fazer a SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes), essencial para diminuir os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais.

A CIPA deve manter uma relação próxima com os trabalhadores, pois assim, eles podem informá-la a respeito dos perigos encontrados nos ambientes de trabalho e dar sugestões para as melhorias. As recomendações dadas pela CIPA devem ser rigorosamente seguidas por todos os profissionais, porque apenas assim evitarão os acidentes no trabalho, entre os assuntos mais falados por essa comissão está o uso correto dos equipamentos de proteção coletiva e de proteção individual, que podem salvar vidas.

A CIPA também tem como finalidade estabelecer uma proximidade dos colaboradores com os supervisores, promovendo conversas, fazendo com que de forma participativa e criativa, todos possam trabalhar com o máximo respeito e segurança de todos.

A CIPA melhora as condições de trabalho, dando prioridade a capacidade de cada empregado em realizar as suas atividades profissionais, a comissão fica atenta para ver se esse profissional é realmente qualificado para o cargo, pois um dos maiores erros cometidos pelas empresas é dar cargos para pessoas sem qualificação para determinada profissão.

Outro fator de responsabilidade da CIPA é a atenção na postura dos trabalhadores, para diminuir ou extinguir os índices de doenças do trabalho e de sintomas que podem acompanhar o trabalhador a vida inteira.

A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), é determinada por lei em todas as empresas de grande, médio e pequeno portes, caso a empresa não possua uma CIPA, ela terá problemas com a justiça e receberá multa.

Em resumo, a CIPA é uma parte fundamental em todas as empresas, porque ela cuida da segurança e do conforto dos trabalhadores e ainda consegue fazer a amproximação dos chefes com os seus empregados. Então todas as empresas têm por obrigação adicionar uma CIPA para ajudar aos trabalhadores e evitar as doenças e acidentes de trabalho.

Trabalhar em um ambiente seguro que não ofereça riscos de acidentes e doenças ocupacionais, é o que todo trabalhador tem direito, pois, ele está fazendo o seu trabalho e merece as melhores condições para desempenhar as suas atividades profissionais. As empresas de todos os portes devem disponibilizar para os seus empregados o que há de melhor para que eles possam trabalhar sem preocupações. Uma das opções usadas pelas empresas para evitar os acidentes de trabalho é a APR (Análise Preliminar de Risco).

O que é Análise Preliminar de Risco

A Análise Preliminar de Risco, também chamada de APR, é um estudo realizado antecipadamente e de maneira detalhada de todas as etapas do trabalho, seu objetivo é encontrar possíveis riscos existentes no exercício da profissão. Depois que a Análise Preliminar de Risco encontra os problemas e os acidentes que podem acontecer no futuro, ela deve ser entregue aos responsáveis pela empresa, que precisarão adotar as ações para fiscalizar e diminuir com todos os riscos.

A Análise Preliminar de Risco é uma atividade que deve ser executada com a atuação de toda a equipe da empresa, com isso o ambiente de trabalho coletivo ficará mais seguro e confortável.

Dicas para fazer uma Análise Preliminar de Risco

1 – Para fazer uma APR da maneira certa é preciso observar e fazer uma relação de todos os riscos existentes no ambiente de trabalho, mesmo que os problemas sejam muito pequenos não podem ser passados despercebidos.

2 – Para preencher o formulário da Análise Preliminar de Risco, alguns dados são fundamentais, como: o nome dos profissionais responsáveis pela análise, a data de realização, nome da empresa, tarefa que será praticada, um check list com os riscos encontrados no trabalho, descrição dos EPIs de utilização obrigatória durante a realização da atividade profissional, as normas de segurança, as etapas do trabalho e muito mais.

3 – A data de validade da Análise Preliminar de Risco é escolhida pela empresa, ela pode ser mensal, semanal e outros. Essa análise precisa levar a assinatura de um profissional em segurança do trabalho.

4 – Na verdade qualquer profissional da empresa pode assinar a APR, pois não há proibição legal, porém é essencial que o trabalhador tenha conhecimentos na área de segurança do trabalho e que esteja por dentro dos riscos existentes no ambiente de trabalho.

5 – A Análise Preventiva de Risco deve ser feita corretamente para evitar os riscos de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, dando sugestões de medidas de prevenção.

Cada empresa pode escolher o modelo de APR que fará em seu estabelecimento, pois não existe um modelo específico, por isso a empresa deve escolher a análise que combina melhor com as suas necessidades de segurança.

Em resumo, a Análise Preliminar de Risco (APR), é uma medida imprescindível de segurança que tem que fazer parte da rotina das empresas de pequeno, médio e grande portes, afinal ela é obrigatória. Então se trabalha em uma local que ainda não tenha a APR, é importante que fale com o seu chefe para que ele adicione essa análise no estabelecimento. A APR foi criada para assegurar a saúde e bem-estar dos trabalhadores.

Entra e sai ano, e os acidentes de trabalho e doenças ocupacionais continuam atingindo milhares de trabalhadores em todo o mundo, a maioria desses problemas acontecem pelo descaso dos donos das empresas e falta de cuidado por parte dos próprios funcionários. Embora os acidentes e as doenças ainda atinjam milhares de profissionais, é importante que você saiba que há muitas formas de diminuir ou acabar com isso, entre as quais está a SIPAT.

Porque a SIPAT é importante

A SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes), é muito importante, porque oferece a todos os funcionários das empresas uma semana repleta de atividades que têm como foco a prevenção de acidentes no ambiente de trabalho e das doenças causadas pelas atividades praticadas na profissão por longo tempo.

A SIPAT é organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), que é obrigatória em todas as empresas, de médio, pequeno e grande portes. A CIPA precisa realizar a SIPAT junto com os membros do SESMT (Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho).

Assim como a CIPA, a SIPAT é obrigatória em todas as empresas por lei, mesmo que a empresa tenha poucos funcionários, porque é uma semana de evento recheada de informações que irão contribuir para acabar com as doenças e os acidentes de trabalho. A obrigação de todas as empresas é realizar a SIPAT uma vez ao ano.

A SIPAT precisa ser feita no horário de trabalho, afinal ela é uma ferramenta de conscientização, não só para os trabalhadores, como também para o dono da empresa. A Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho pode ser considerada um curso ou treinamento que tem como finalidade ensinar a todos os integrantes da empresa, os cuidados que devem ser repensados diariamente para evitar os acidentes e doenças de trabalho.

A SIPAT deve ser feita durante uma semana, no entanto, alguns estabelecimentos realizam esse treinamento em menos de uma semana, e esse ato pode fazer com que a empresa sofra problemas com a justiça trabalhista e possa até ser multada.

O que pode ser realizada na SIPAT

A SIPAT, durante uma semana, oferece a todos os trabalhadores de uma determinada empresa, atividades motivacionais, teatro, sorteios de brindes, palestras, gincanas e outras atividades, criadas para conscientizar a todos como é importante evitar as doenças e os acidentes provenientes do ambiente de trabalho.

Ao passar pela SIPAT, a maioria dos trabalhadores se tornam mais cuidadosos nas suas atividades profissionais, pois eles começam a se prevenir melhor para não sofrer acidentes, ficam atentos ao meio ambiente e ainda mudam a sua postura profissional, para evitar as doenças do trabalho. É obrigação de todos os funcionários, comunicar ao chefe todos os problemas que devem ser corrigidos imediatamente.

Participe da SIPAT

A Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho é anual, obrigatória e é uma importante aliada para explicar a todos os trabalhadores, como é essencial se cuidar e ter atenção no trabalho, porque, qualquer descuido pode levar a morte. Essa semana tão importante para a empresa também faz com que os responsáveis pelas empresas comecem a cuidar mais da integridade física e da saúde de seus empregados.

Portanto a SIPAT tem muita importância para todas as empresas, pois ela é uma das maiores responsáveis pela prevenção dos acidentes de trabalho e também das doenças que ocorrem no decorrer do tempo em uma mesma profissão.

Os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais, são muito comuns até hoje, isso acontece por vários motivos, como: indiferença das empresas com relação a saúde e integridade física dos funcionários, mau uso ou falta de uso dos equipamentos de segurança, falta de atenção dos próprios trabalhadores, postura incorreta na hora de efetuar as atividades e profissionais sem qualificação.

Muito se fala sobre os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais, inclusive uma grande parte das empresas brasileiras já adotaram todas as medidas obrigatórias por lei para prevenir os acidentes e doenças de trabalho e manter a vida dos trabalhadores a salvo.

Evitar os acidentes de trabalho e as doenças provenientes das profissões que são exercidas  por muito tempo, é essencial para todos os empregados que trabalham em empresas de pequeno, médio e grande portes, e para lembrar essa importância e conscientizar trabalhadores e donos de empresas, foi instituído o Dia Nacional de Combate aos Acidentes de Trabalho.

Dia nacional de combate aos acidentes de trabalho

O Dia Nacional de Combate aos Acidentes de Trabalho é comemorado em 27 de julho. Para quem não sabe, o Brasil foi o primeiro país a possuir um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho, esse serviço estava presente nas empresas que contavam com mais de 100 funcionários. Isso aconteceu no dia 27 de julho de 1972 e o responsável foi o Ministro do Trabalho Júlio Barata, que criou leis que regulamentavam a formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho.

O que são acidentes de trabalho

O acidente de trabalho é um acontecimento rápido e imprevisto, que ocorre com o trabalhador no ambiente de trabalho. O acidente de trabalho é aquele que acontece durante as atividades da profissão, ou no caminho de casa para o trabalho, que provoca lesão no corpo ou problemas nas funções do corpo, e a diminuição ou perda da capacidade de trabalho ou até levar a morte.

Como já foi dito, os acidentes de trabalho têm muitas causas, que podem ser naturais, pela falta do uso de proteção ou uso de forma errada dos equipamentos de segurança. Os acidentes de trabalho também podem ser provocados por ações dos trabalhadores, pois alguns ingerem bebidas alcoólicas ou se drogam durante o trabalho. O cansaço do trabalhador, é uma das maiores causas dos acidentes e doenças do trabalho.

Como evitar os acidentes de trabalho

Para evitar os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais, os trabalhadores devem sempre participar de ações ou cursos de segurança proporcionados pelas empresas, como a semana de prevenção de acidentes do trabalho, campanhas, gincanas, diálogos e outros. Os profissionais devem ter muito cuidado ao realizar uma atividade no trabalho, pois qualquer descuido pode provocar acidentes muito graves.

Para os donos de empresas e trabalhadores, a melhor forma de acabar com as doenças ocupacionais e com os acidentes de trabalho, é a prevenção, que deve fazer parte da vida de todos os trabalhadores, não importando a sua idade e tempo de serviço.

Portanto o Dia Nacional do Combate aos Acidentes de Trabalho, é para conscientizar que a prevenção de acidentes do trabalho e os cuidados devem vir das duas partes, dos chefes e dos empregados.

Os acidentes de trabalho acontecem todos os dias no mundo, não só em empresas grandes como também nas pequenas. Eles ocorrem por vários motivos, entre os quais estão: a falta de atenção dos trabalhadores na hora da realização das atividades, os riscos comuns nas empresas, o descaso dos chefes, o mau uso ou não uso dos equipamentos de segurança e muito mais.

Todas as empresas, não importa o seu tamanho e a quantidade de empregados, têm obrigação de oferecer a todos os seus trabalhadores, uma equipe formada por profissionais, entre os quais está o técnico de segurança do trabalho.

O que faz um técnico de segurança do trabalho

O técnico de segurança do trabalho é um profissional que trabalha ao lado de outros profissionais da saúde, como o médico do trabalho, o engenheiro do trabalho e o enfermeiro do trabalho.

São muitas as atribuições do técnico de segurança do trabalho, pois ele é essencial para evitar não só os acidentes de trabalho, como também as doenças ocupacionais.

Funções do técnico de segurança do trabalho

1 – Informar ao chefe da empresa através de um relatório técnico sobre todos os riscos encontrados nos ambientes de trabalho e ajudá-lo a eliminar todos os perigos;

2 – Avisar a todos os trabalhadores sobre os riscos que eles correm nas suas profissões e informá-los a respeito das medidas que devem ser tomadas para evitar problemas;

3 – Analisar a metodologia e os processos de trabalho para encontrar os fatores de risco que podem ocasionar acidentes de trabalho, doenças ocupacionais e agentes ambientais prejudiciais aos trabalhadores, propondo a melhor solução para eliminar ou controlar os perigos;

4 – Executar os procedimentos de higiene e de segurança do trabalho e avaliar os resultados que foram alcançados.

5 – Realizar programas de prevenção de acidentes de trabalho e de doenças profissionais, com a participação dos trabalhadores, acompanhando os resultados e propondo soluções;

6 – Fazer debates, campanhas, encontros, seminários, palestras, treinamentos e reuniões, utilizando os materiais didáticos e pedagógicos, para divulgar as normas de segurança, assuntos técnicos e higiene do trabalho.

7 – Executar todas as normas de segurança que se referem a projetos de construção, reforma, fluxos e outros, ficando sempre de olho nas medidas de segurança e higiene do trabalho, não só dos empregados como também dos profissionais terceirizados;

8 – Encaminhar aos setores e áreas correspondentes, regulamentos, normas, documentação e todos os dados para o desenvolvimento e conhecimento do trabalhador;

9 – Fazer a inspeção, solicitar e indicar recursos audiovisuais e didáticos e equipamentos de proteção contra incêndio e outros materiais essenciais para o desenvolvimento das atividades com segurança;

10 – Colaborar com as atividades do meio ambiente, orientando os empregados sobre o tratamento e destino dos resíduos industriais, tornando os trabalhadores mais conscientes da importância do meio ambiente;

11 – Orientar as atividades desenvolvidas pela empresa onde trabalha, em relação aos procedimentos que devem ser tomados para evitar os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais.

Para se tornar um técnico de segurança do trabalho, o profissional precisa ter certificado de conclusão de curso técnico de segurança do trabalho, no país onde quer exercer a profissão.

Todas as pessoas passam grande parte das suas vidas trabalhando, por isso, o ambiente de trabalho precisa ser seguro e confortável, pois só assim os trabalhadores podem exercer as suas funções da melhor forma possível.

Para evitar os acidentes de trabalho e as doenças causadas pelo exercício da profissão, foi criada a área de segurança do trabalho, por isso ela é muito importante em todas as empresas, sejam elas de pequeno, médio e grande portes.

Importância da segurança do trabalho

A segurança do trabalho é uma ciência que foi criada para evitar os acidentes de trabalho no ambiente interno e externo das empresas e também as doenças ocupacionais. Para entender melhor, a segurança do trabalho é uma série de medidas que devem ser aderidas por todas as empresas para reduzir ou então até mesmo acabar com os acidentes de trabalho e as doenças que aparecem no decorrer do tempo de trabalho. Essa ciência tem como principais funções, proteger a saúde dos profissionais e a sua capacidade de exercer as suas atividades.

Áreas que formam a segurança do trabalho

A segurança do trabalho é formada por muitas áreas, como: higiene e segurança do trabalho, medicina do trabalho, ambiente de trabalho, doenças do trabalho, higiene do trabalho, metodologia de pesquisa, legislações, normas técnicas, responsabilidade civil e criminal, perícias, proteção do meio ambiente, gerência de riscos, proteção contra incêndios e explosões e ergonomia e iluminação.

A segurança do trabalho é obrigatória em todas as empresas, porque ela é a responsável por manter os trabalhadores em segurança, evitando de todas as formas, os acidentes de trabalho e as doenças provenientes da profissão.

A segurança do trabalho de uma empresa é composta por uma equipe de especialistas das seguintes profissões: engenheiro de segurança do trabalho, médico do trabalho, enfermeiro do trabalho e um técnico de segurança do trabalho.

Acidentes de trabalho, o que são?

Os acidentes de trabalho são aqueles que acontecem quando os trabalhadores estão exercendo a sua profissão, as situações a seguir são consideradas acidentes de trabalho: acidente que acontece no caminho entre a casa e o trabalho ou do trabalho para casa, os acidentes que ocorrem quando o trabalhador está viajando a serviço da empresa, os acidentes que acontecem quando o empregando está prestando serviços para a empresa, e outros.

As doenças ocupacionais, que são causadas pelo tempo de profissão, são também consideradas acidentes de trabalho, muitas dessas enfermidades não têm cura.

A segurança do trabalho foi criada para reduzir as possibilidades de acidentes de trabalho que são causados por diferentes fatores, nos quais estão: o ato inseguro, que é aquele que os trabalhadores realizam conscientemente no trabalho, como fazer as atividades sem usar equipamentos de segurança e as condições de risco presentes nos ambientes de trabalho, tornando a vida dos empregados perigosa.

A segurança no trabalho deve tomar medidas para conscientizar os trabalhadores e donos de empresas de que os acidentes e as doenças nos ambientes de trabalho são muito comuns, por isso, é essencial tomar todos os cuidados para garantir o bem-estar e a integridade física dos empregados.